É no meio do povo
que eu vivo.
Sofrendo suas dores,
correndo seus perigos...
Não posso argumentar
das nuvens,
se vivo poluído elas ruas,
de realidade cruas
e de contas a pagar.
Mal posso sonhar,
pois a realidade é um apito...
Então vou levando tudo no grito
para não me entregar.

Texto do livro Sub-Versos Corrosivos
https://www.clubedeautores.com.br/book/156416--SubVersos_Corrosivos?topic=fantasia#.U-4HP_nxoQA