Ouça o amor que sai de mim:
é um mar, um infinito
sem futuro mas, bonito.

Ouça a canção,
o baticum da minha vida...
Talvez
tudo isso seja mais real
do que aquele carro que passa.

Pode achar graça!
A vida não deve ser
só de seriedade.
É preciso
que haja riso.

E serei o seu palhaço
ou seu bobo da corte,
desde que você
(nem precisa que aceite)
respeite
o meu amor.

A.J. Cardiais