Ouça o Amor

22 de Agosto de 2014 A.J. Cardiais Poesias 229

Ouça o amor que sai de mim:
é um mar, um infinito
sem futuro mas, bonito.

Ouça a canção,
o baticum da minha vida...
Talvez
tudo isso seja mais real
do que aquele carro que passa.

Pode achar graça!
A vida não deve ser
só de seriedade.
É preciso
que haja riso.

E serei o seu palhaço
ou seu bobo da corte,
desde que você
(nem precisa que aceite)
respeite
o meu amor.

A.J. Cardiais

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Mancha de Batom há 2 horas

Você se foi... Agora só resta a mancha de batom num copo, que me faz...
a_j_cardiais Poesias 42


Poesia Impura há 2 horas

Não deixe a poesia pura. Deixe um pouco de gordura e algum resquício de...
a_j_cardiais Poesias 38


REMEXENDO OS GUARDADOS há 15 horas

Entre as páginas amareladas Dum velho romance de amor Guardei a carta pe...
madalao Poesias 11


CLAMOR ( rondel) há 15 horas

Justiça! Vivo clamando aos quatro ventos. Silêncio! Porque resposta eu n...
madalao Rondel 6


OH HOMEM! (rondel) há 15 horas

Oh homem! Teus calores me agitam, E meu corpo fica em estado convulsivo. ...
madalao Poesias 7


E AGORA? (rondel) há 15 horas

E agora? Que podemos fazer? Remediar é coisa que não adianta. O mal f...
madalao Rondel 8