Este caderno novo
é um chamariz...
Fico como uma criança,
quando encontra um giz:
quer riscar tudo.

Aí eu fico riscando
umas rimas tolas,
uns versos vazios...
Fico fustigando o poema
até que acerto.
(ou penso que acerto)

Já pensei até
em parar de escrever...
Mas no fundo, no fundo
é esta ilusão
que me ajuda a viver.

A.J. Cardiais