Promessa incerta. Parte 2



Já faz um tempo que estou aqui.

Aprendi a conviver com o frio,
Mas ainda não superei a solidão.
Seu amor eu guardo,
Mas não sei se ainda tenho coração.

Aquela que eu era não existe mais.
Aos pouco estou me esquecendo de seu cheiro.
Eu tenho medo pois isso acontece ligeiro.

Queria ainda ter memória.
Acho que a perdi,
Mas ainda me recordo do que tivemos,
Tudo que passamos.

Por aquilo, estou aqui.
Por aquilo, houveram batalhas.
Por aquilo, sinto sua falta.
Por aquilo, perdoe minhas falhas.

Dois lados batalhando,
Nós dois querendo apenas um tempo.
Não tínhamos culpa se aquilo era tão forte,
Não tivemos sorte.
Não sabíamos o que podia causar.
Só não queríamos nos separar.

Aqui pensando,
Tenho dúvidas se era a coisa certa a fazer.
Penso em como você está longe.
Penso em como você está hoje.
Penso se está bem, se ainda se lembra.

Se pudesse ao menos te ver outra vez,
Meus momentos aqui talvez valeriam mais a pena.
Aquele dia foi memorável,
Acho que ainda me recordo da cena.

Toda aquela gente,
Brigando por nós,
Depois dali nunca nos deixaram sós.
No final acabaram sem nada.
Fizeram de mim um anjo sem céu.
Me levaram do mundo e me cobriram com um véu.

Eu não vejo nada e tudo ao mesmo tempo.
A luz é forte, e ao mesmo instante não há luz alguma.
É vida e morte.
Paz e guerra.
Silencio e barulho.
Água e terra juntos me sufocando.
Ainda te espero


Mariana Alves