Deixo livre meu radar...
Não o aponto
para nenhum lugar.

O que ele captar,
estou na escuta
e toco a escrita...

Não importa se não é bonita:
caiu na rede é peixe.
Tem peixe que se come
e tem peixe só para enfeitar...

Caiu no meu radar,
vira escrita.
Só não vira se for
uma “palavra menor”.

A.J. Cardiais
14.01.2011