Que nobre campo,
liberdade pra correr
ponho-me a desfrutar desse encanto,
mas me deparo com uma agulha,
sem saber.

Não adianta, não consigo ver
meus pés gritam alto
ponho-me a correr
não corro, salto!

Sapeca, que não se mostra agora
furadora de felicidade
Nem lembro dela nessa hora
Dá saudade.

Que dor nos meus pés
Lembro-me quando vou embora
não esqueço de quem tu és
no fim, ela chora.