Não posso só falar de amor
se o que para mim chegou,
doeu e acabou...

Nascente de fonte rasa
vaza
no fundo do mundo.
Cresce no centro da terra
e o meu amor
encerra...

Dar vazão ao ódio, não...
Deixarei crescer amor
pela tangente.
Jogarei sementes
nas mentes,
varrendo do centro
o ódio da gente.

Vetar o ódio
e abrir porteiras
para o amor.
Dar vazão a vida inteira...
A vida inteira, amor.

A.J. Cardiais
02.05.1982