Correnteza

09 de Setembro de 2011 Gisela Cardoso Poesias 430

Estou nadando contra a correnteza de meu destino
Provar que nada está errado
Mesmo que nada esteja certo
Não é o caminho
Nunca foi o caminho
Mas, teimo a prosseguir

Estou nadando contra a própria correnteza
Foi apenas uma barreira
Mesmo superada
Ainda levo comigo

Além, muito além da vida
Aguarda um segredo obscuro
Que procuro a entender
Se é para ser ou se não é para ser
Enquanto espero a resposta
Só me resta a me afogar
Nas profundezas do destino

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Minha essência é a eternidade. há 4 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 5


LAMPEJOS há 4 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 5


Deixe Esse Amor Crescer há 20 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 35


Ás palavras não são mais meu legado. há 20 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 7


Não há o que comemorar. há 20 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 20 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 7