Não tenho medo de morrer...
Tenho medo das coisas
que acompanham o viver.

Viver é um verbo indecifrável:
às vezes está do contra,
às vezes está favorável.

Tem vezes que você levanta
e pisa na vida
com o pé esquerdo...

É dessa coisa
que eu tenho medo:
acordar o lado azedo.

A.J. Cardiais
07.06.2011