Na poesia da minha vida,
tem horas que há rima rica;
tem horas que há rima pobre...
Tem horas que a rima encobre
um mar negro de situações...

Tem horas de muitas emoções.
(por sinal, é o que mais há)
Tem horas de meditar
e me distanciar
desta velocidade moderna.

Tem horas que é de eterna
calmaria ou falta de vento.
Pois é neste momento
que espero a poesia
trazer-me algum alento.

A.J. Cardiais