Não é só de doutores
que a realidade precisa.
Ela precisa também
dos trabalhadores braçais.

Se não, quem irá
por os pés no chão
e as mãos na massa?
Quem?

Quem planta e colhe
a comida que te alimenta?
Quem te livra do lixo
que você aumenta?

Quem conserta o carro
que você se movimenta?
Quem construiu a mansão
onde o “doutor” mora?
Vamos doutor, diga-me agora!

Precisamos valorizar mais
nossos trabalhadores “braçais”.

A.J. Cardiais