Graças, senhor meu Deus
Pela suprema ventura de ter nascido
E, nos caminhos da vida, conhecido
A felicidade e a tristeza,
A fartura e a pobreza,
A humildade e a soberba,
Que lapidaram meu coração e minha “ALMA”



Que desgraça, senhor meu Deus
Pela desventura de ter nascido
E, nos caminhos da vida, conhecido
A humilhação, a chibata, a tortura,
Todas dores tão doidas,
Que dilaceraram meu coração,
Mas não a alma, pois escravo,“ALMA” não tinha.