Anjo

17 de Setembro de 2011 Ullisses Salles Poesias 507

Anjo

Teus cabelos caem soltos e lisos,
loiros,
alguns poucos sobre o viso,
mas jamais cobrem o sorriso,
lindo,
simétrico e preciso,
que me deixa louco.
Eu, tolo,
por teu olhar fui inciso,
e ora morro aos poucos,
de amor,
sem sentir a dor,
da morte iminente,
demente,
amo-te dama ausente,
no vazio da minha cama,
se faz presente,
e se minh’alma se engana e trama,
que assim seja.
Anjo me beija!
Se for pra sofrer,
por amor posso até morrer,
mas te venero,
e quero sincero
poder te amar novamente.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Te Desejar Só, Não Basta há 11 horas

Fico aqui te desejando... Mas você bota tanto empecilho, tanta dificulda...
a_j_cardiais Poesias 40


Só Fale de Amor Com Sinceridade há 11 horas

Não faz mal nenhum você dizer para alguém: Eu te amo! Não faz mal ...
a_j_cardiais Poesias 26


"Confesso-te que..." há 16 horas

Ao perder um grande amor, Confesso que até chorei, Mesmo assim tudo ...
joaodasneves Poesias 7


Vida Pela Via da Fé há 19 horas

O que poderia o ministério da Lei sob o Antigo Testamento, fazer por si m...
kuryos Artigos 10


Para quem é a Mudança da Lei de Moisés há 21 horas

O apóstolo Paulo afirma que o crente não está sob a lei e sim sob a gr...
kuryos Mensagens 8


Cultivando Observações - 1 há 23 horas

Eu vivia arrastando silêncios, pelas plataformas da vida. Agora dispenso...
a_j_cardiais Poesias 31