Anjo

17 de Setembro de 2011 Ullisses Salles Poesias 511

Anjo

Teus cabelos caem soltos e lisos,
loiros,
alguns poucos sobre o viso,
mas jamais cobrem o sorriso,
lindo,
simétrico e preciso,
que me deixa louco.
Eu, tolo,
por teu olhar fui inciso,
e ora morro aos poucos,
de amor,
sem sentir a dor,
da morte iminente,
demente,
amo-te dama ausente,
no vazio da minha cama,
se faz presente,
e se minh’alma se engana e trama,
que assim seja.
Anjo me beija!
Se for pra sofrer,
por amor posso até morrer,
mas te venero,
e quero sincero
poder te amar novamente.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Estou triste" há menos de 1 hora

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 4


"Estou cá a matutar" há 1 hora

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 4


A Humildade nos Cai Bem há 5 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 8


Fuga da Inspiração há 6 horas

Preciso terminar um poema que comecei numa empolgação danada... Dep...
a_j_cardiais Poesias 39


Um Dilema há 7 horas

Estou aqui reclamando da minha "vidinha", enquanto tem alguém por aí que...
a_j_cardiais Poesias 37


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 6 há 10 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 15