Anjo

Teus cabelos caem soltos e lisos,
loiros,
alguns poucos sobre o viso,
mas jamais cobrem o sorriso,
lindo,
simétrico e preciso,
que me deixa louco.
Eu, tolo,
por teu olhar fui inciso,
e ora morro aos poucos,
de amor,
sem sentir a dor,
da morte iminente,
demente,
amo-te dama ausente,
no vazio da minha cama,
se faz presente,
e se minh’alma se engana e trama,
que assim seja.
Anjo me beija!
Se for pra sofrer,
por amor posso até morrer,
mas te venero,
e quero sincero
poder te amar novamente.