A sala

25 de Setembro de 2014 Miranda Poesias 261

Vejo um retrato mórbido na parede
Algo me corrói e gela a alma
O quadro parece querer que eu o adentre
Desvio meu olhar,mas não adianta
Tenho uma pedra em meu estomago
Não consigo sair deste sofá
Procuro um controle,mas não encontro
Fico torcendo para que alguém chegue
Quem sabe o telefone toque
Ah um peso em meus ombros e a caneta treme
Não sei o que estou lendo nesta folha
Minha cabeça pesa e parece vazia
A janela é translucida,isso não me conforta
O ponteiro dos minutos parece parado
A angustia me atinge com farpas...
Mas isso é meu coração que dói
Meu anjo protetor esqueceu de mim
Estou só,ainda me resta rezar
Elevo meus olhos
Uma porta bate...
E eu...
Acordo!



Leia também
Equação do Amor há 2 horas

Corre pra mim... Talvez eu ainda não saiba o que é o amor; Não tenha ...
a_j_cardiais Poesias 31


Qual é a Nossa Parte? há 10 horas

O conceito arminiano de que devemos fazer a nossa parte para que Deus pos...
kuryos Artigos 5


"Lagrimas" há 13 horas

Um silêncio triste e profundo Uma lágrima caiu Na tarde fria, e escura ...
joaodasneves Poesias 6


Realidade, Deixe-me Sonhar há 13 horas

Ah, realidade, realidade... Você não respeita minha privacidade. Vo...
a_j_cardiais Poesias 36


"és nada" há 18 horas

Como me pude apaixonar De um alguém como tu Passado pouco tempo pude con...
joaodasneves Pensamentos 9


"Ela mora" há 18 horas

A minha unica paixão é a solidão, ela vive na minha casa, e mora bem ...
joaodasneves Pensamentos 10