Tempos & Marés

15 de Outubro de 2011 Talaris Poesias 444

Velejai, velejai,
Sem Correnteza e sem Vento;
No Rio da Tristeza,
No Barco do Arrependimento.

Hei de andar sem Compromisso,
Em Terra de Amor,
Com Coração inteiriço,
Nesse Fogo sem Ardor.

Velejai, velejai,
Sem Gentileza e sem Contentamento;
No Rio da Beleza,
No Barco do Arrependimento.

Hei de andar até meu Sumiço,
Em Terra de Ilusão,
Com o Coração inteiriço,
Cheio de mestiça Emoção.

Velejai, velejai,
Sem Sabedoria e sem Desvendamento;
Nesse Rio de Alegria,
Nesse Barco de Arrependimento.

Hei de andar de olhar Mestiço,
Em Terra de Descoberta,
Com o Coração inteiriço,
Mas de retirada Oferta.

Velejai, ancorai!
Com Consentimento e Determinação;
Nesse Rio do Arrependimento,
Nesse Barco de Redenção!


Leia também
Sintomático há 2 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 25


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 66


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 15


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 30


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 13