Preso em um barco à deriva
De um oceano de desilusão.
O seu oceano possui um abismo.
O abismo do inferno e da solidão.

Um náufrago espera a resposta de Deus
Para dar sentido à sua vida.
Sua vida se perdeu nas lembranças.
As lembranças que não foram varridas pelo tempo.

As lembranças são instrumentos de tortura
Nas mentes dos desiludidos e dos tolos apaixonados.
As lembranças de um amor ferido
Que deixou nas cicatrizes a saudade.

As ondas balançam o barco.
Está prestes a cair no abismo da solidão.
O náufrago ainda espera a resposta de Deus,
Ainda espera a figura de um anjo para curar seu amor ferido.