Nosso tempo

26 de Dezembro de 2011 William Adriano Poesias 436

Nosso tempo
(de William Adriano)

Precioso como nosso tempo não há
Cada segundo, um valor incalculável
Sorrisos sem etiquetas
Abraços grátis nas praças

Éramos crianças e brincávamos sem pressa
Mas ao crescermos nos endurecemos friamente
Perdemos o galeio da roda ciranda
Perdemos até mesmo nossos sonhos

Ficou agora a lembrança
De rostos e nomes estranhos
Que o tempo quase apagou
Esse era nosso tempo, nosso tempo

Ainda podemos recompor a canção esquecida
Existe espaço na pauta branca que anseia
Que espera o novo tempo em harmonia
Algo que vai trazer um novo olhar, sensível

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
//canticospelapaz.blogspot.com/

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"Minha humilde casinha" há 20 horas

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 14


Se Poema For Oração há 1 dia

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 45


"Bailei com a solidão" há 1 dia

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 11


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 9


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 40