Nosso tempo

26 de Dezembro de 2011 William Adriano Poesias 442

Nosso tempo
(de William Adriano)

Precioso como nosso tempo não há
Cada segundo, um valor incalculável
Sorrisos sem etiquetas
Abraços grátis nas praças

Éramos crianças e brincávamos sem pressa
Mas ao crescermos nos endurecemos friamente
Perdemos o galeio da roda ciranda
Perdemos até mesmo nossos sonhos

Ficou agora a lembrança
De rostos e nomes estranhos
Que o tempo quase apagou
Esse era nosso tempo, nosso tempo

Ainda podemos recompor a canção esquecida
Existe espaço na pauta branca que anseia
Que espera o novo tempo em harmonia
Algo que vai trazer um novo olhar, sensível

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
//canticospelapaz.blogspot.com/

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 1 dia

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 13


Principio há 1 dia

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 10


Viandar há 1 dia

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 10


Fluxo do tempo. há 1 dia

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 11


Sou há 1 dia

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 10


Ame...! há 1 dia

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 8