A televisão me oferece
além do que eu posso ter,
mais do que o necessário.
E eu, como otário,
entro nesse conto do vigário...

A televisão me facilita:
Começo, meio e fim...
Facilita tudo para mim!
Me interesso... Nem meço!

Entro...
Depois não aguento.
Não suporto a cobrança.
E nessa, quem dança?
Eu!
O sonho de consumo
acabou me consumindo.

A.J. Cardiais
05.04.1997