Quero citar teu nome num poema.
Quero ouvir tua voz.
Quero deixar desabrochar em mim,
algo que espero que exista entre nós:

Um acordo, um pacto,
um entretenimento de amor.
Dissertando palavras fáceis,
fui ao mundo...

Subi em sílabas e etc.
Curvei bugalhos, olhares equidistantes...
Os holofotes em mim
talvez te indiquem o caminho.

Estou tão sozinho amor,
que as frases me atropelam volúveis.
Mudo, quieto, espinho...
O teu nome em mim é pátria.
Citá-lo-ei breve, num poema.

A.J. Cardiais
17.01.1990