Os olhos estão cheios de lágrimas prontas para rolarem
Esperando apenas um motivo que as faça cair...
O olhar é triste, quase sem expressão...
Os movimentos são sem emoção,
Assim como as palavras quando são ditas...
Eclodem com dificuldade... um nó as prende na garganta,
Infeliz, não...
Simplesmente triste,
Como qualquer um... em algum dia da vida...

Às vezes o vento sopra, ameniza a melancolia...
É inverno, as folhas caem secas...
Como os sentimentos.
Um dia triste...
Apenas um momento infeliz...
O silêncio toca sua sinfonia...
O vento toca a alma...
E o tempo... passa
Às vezes veloz, raramente brando.
Mas não deixa de correr...

Os pássaros cantam uma melodia triste...
Parecem saber de minha tristeza...
São amigos, são fieis...
De quando em quando o sol toca- me as faces
Aquece –me o peito...
Consola- me...

Palavras sem sentido,
Tampouco a vida parece tê-lo.
A solidão é uma constante
Alegria variável...
E assim vai- se vivendo...
No entanto morrendo- se a cada dia...

*Escrito em 01 de maio de 2001