Veja o que fazes, minha flor...
Ando sempre assim, por causa do teu amor...
Às vezes durmo, outras transpasso a madrugada,
Muda e gelada,
Pensando em teu calor...

Mas tanto quanto fria,
Me é solicita a noite agora,
Pois enquanto a sanidade em mim vigora,
Pensando em versos que lia,
Busco teu rosto na aurora.