Indagações

13 de Fevereiro de 2012 Társis Farias Poesias 620

I

Pode parecer besteira, mas é certo que o que eu quero,irei conseguir.
Sempre fui louca, mas uma louca consciente.
Afundada e movida por lembranças e magoas,
elaborando sempre um próximo plano
Para escapar deste mundo corrompido pelo vazio e falsidade.

Uma vida de mentira?
Talvez, isso me faz viver.
Começo a perceber tudo que eu fiz e tudo que eu causei,
Será que teve algum valor?
Não sei, mas um dia Deus irá me dizer.


E quem sabe dizer adeus agora seria tarde demais,
Pois já caí bastante, me sujei o suficiente.
Apenas uma vez, só uma vez queria poder não escolher,
Me perdoe por isso, não agüento mais.

Não me deixe só, não me deixe ouvir.
Eu não quero mais ouvi-los.
Eu preciso sair, eu tenho que me despedir.
Já me perdi e ninguém me descobriu no abandono.

II

O vento soprava naquele dia, um dia normal,
em que joguei fora todas minhas ruínas.
Sim, eu havia desmoronado,
E assim poderia viver o agora com você.

Este acontecimento fará com que sofra
E quem sabe faça alguém chorar por mim.
Você consegue sentir o que eu sinto?
Não, ninguém sente, ninguém consegue.

Eu estou chorando por dentro, pode me ouvir ?
Por favor, chore por mim, eu preciso disso.
Eu vejo que hoje será o grande dia.
Todo dia é dia, mas hoje será ‘O Dia’.

III

Eu preciso ouvir, eu quero ouvir o som do meu coração,
O barulho da minha mente.
Ouvir o que dizem, e fazer o que me mandam,
Mas eu não consigo entendê-los.

É inútil dormir, pois a dor não passa,
Está provado se eu esperar nunca irei alcançar.
Meu coração está em guerra, minha história foi perdida
E esquecida no abismo da solidão.

Vejo os ‘flashes’ da minha vida passando diante dos meus olhos,
E acabo enxergando o que não quero ver.
Por favor, eu sei que errei, consegue me perdoar,
Lhe imploro perdão, por favor.

IV

Preciso vencer, preciso lutar. Lutar?
Mas toda luta acaba em guerra,
E em toda guerra sempre haverá uma morte.
Quem irá morrer dessa vez,
Você morreria por mim?
Eu morreria, lutaria e quem sabe venceria esta guerra por você.


Não consegui fugir da minha história real,
Eu não consegui me mover, estou presa.
Todo o mundo está nos olhando, eles estão de olho em mim.
E eu assisto em silêncio tudo que não quero enxergar
Eu fecho os olhos para poder sonhar, e quem sabe às vezes você vem me visitar.

V

Eu pensei ter visto você rindo,
Eu pensei ter ouvido você me chamar,
Mas não passou de sonho.

Será que meus sonhos irão se realizar,
Você fará parte deles?!
Queria poder ver o futuro por um instante,
queria mudar o passado e arquitetar o nosso presente.

Não me deixe só, não me deixe ouvi
Eu não quero mais ouvi-los.
Eu preciso sair, eu tenho que me despedir.

O vento estava soprando naquele dia normal
No qual joguei fora todas as minhas ruínas.
Eu havia desmoronado, assim quem sabe
Poderia viver em paz.


Leia também
A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 1 hora

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 6


ETERNAL (rondó) há 14 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 6


Sintomático há 20 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 40


"Minha humilde casinha" há 3 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 20


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 81


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 17