Veia Poética

19 de Fevereiro de 2012 Charlene França Poesias 421

E por falar em poesia, por onde andas?
Falando em nós, por que te sinto?
À distancia, a dureza
Nula, claro labirinto.

E se me escapas veia à fora,
Morro aos poucos, via a dentro
E se voltas, vertigem...
Goteja a boca, duro tormento.

E nenhum vocábulo, voz velada,
É capaz de expressar-te, nota perdida.
Teu leito em desalinho, no escuro, sem nada,
Teu lirismo que mais é que vida?

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
LUSO-BRASILEIRO - Des-História Universal há 2 horas

LUSO-BRASILEIRO Assim como a cor d'olho não colore Aquilo que se tem ...
ricardoc Sonetos 5


Uma Tal Pedra há 19 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 24


Mundo da Gataria há 19 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 44


A história do amor há 20 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 35


AFRO-AMERICANO - Des-História Universal há 20 horas

AFRO-AMERICANO Terra da Liberdade, a Norte-América Tornou republicana ...
ricardoc Sonetos 9


"Primeiro encontro" há 1 dia

Olha, te recordas da primeira vez que eu te vi? não foi só pra me distr...
joaodasneves Mensagens 7