Finjo tanto, e tão completamente
Que me mostro.
O que escondo, já sabes, já tens
Amor que é vosso
Ainda que disfarçadamente.

E te inquieto, embora não queiras
E te completo, perto, longe
Embora não saibas.
Se passo, fico, pegadas na areia
Pranto fugido, almas doadas.

A paz que me tiras
É a que de ti foi roubada,
Desaprendida.
As vias em que entras,
Guiam meus passos
Perdida.

A lágrima que finjo, vertida
Nula, é a mesma que cai
Vertida da veia, rompida
Mas é a tua que se esvai.