PIVETE

29 de Fevereiro de 2012 Pedro Henrique Poesias 504

Defendo meu canto
Teu pranto
E o espanto ridículo de tantos

Por todos os lados
Os cantos
As partes

Parto e absorvo
O silêncio dos olhos
Das línguas
Das poesias cansadas!

Calço a dor
E percorrendo um chão abstrato
Descubro o universo em mim.

Sou mais um favelado
Na era do consumo
Sem estomago
Sem trapo
Sem teto.

Sou mais um pivete de rua
Sem escola
Sem infância
Sem futuro.

Marginalizado por um regime
Burguês e autoritário.

Sou mais um ser humano
Resíduos de uma espécie
Que tinha tudo pra dá certo


Leia também
"Minha humilde casinha" há 1 dia

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 14


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 54


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 14


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 10


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 50