Na delicadeza dos gestos, no brilho do olhar,
no sorriso no momento oportuno,
na vontade de amar,
se abre janelas do coração,
se abraça novas expectativas,
se lança no aconchego de um afago.
Na sutileza dos finos panos,
vão-se derrapando as vontades mais desejadas,
os sonhos mais peculiares,
sem deixar cair no chão tudo que se tem para conquistar,
pode até escorregar,
mas jamais deixar de pegar,
tudo que é importante para subir um montante de degraus importantes e essenciais para se chegar ao objetivo final.
Essa é a vida de quem segue caminhando na estrada lutando por ideais,
que nem sempre são compreendidos,
mas que são somente sentidos pelo coração que os acolhe.
Na delicadeza do começo da poesia me despeço,
claro com um breve regresso,
para lhe brindar com meus versos escritos com a ponta do coração,
que já tantas vezes lhes tirou emoção onde já não havia mais uma pitada de algo mais.
Abraço, beijo e um cheiro de quem jamais deixará as palavras faltarem em momentos especiais e com algo a mais para expressar.