Tenho preguiça de procurar ser
o que eu não sou.
Não quero provar nada
para o mundo.

Digo que sou vagabundo,
porque é a rima
mais proxima.

Não me atropelo
dirigindo-me
para uma posição
que não quero...

Aliás, não me dirijo.
Deixo que o tempo
o vento e a vida
levem-me
até o poema
final.

A. J. Cardiais