Insatisfação

19 de Março de 2012 Victor Almeida Poesias 464

Há momentos em que se desacredita de tudo,
Até do sabor da carne na hora do almoço.
Os sentimentos esvaziam-se de tempero.
O coração bate forte na tentativa do exorcismo.
Desse escárnio confrontando as tentações.

O ritmo de tudo se descompassa.
E os afazeres se tornam o martírio real.
As vozes dos que te cercam.
A música que lhe apetecia.

À noite, tudo vem à tona.
Renova-se o perigo da lona,
Da lama.

Mas sempre há tempo para a mudança,
Sem muita abastança,
Quem sabe em outro lugar.


Leia também
Lembra? há 3 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 24


Principio há 3 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 3 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 14


Fluxo do tempo. há 3 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 16


Sou há 3 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 17


Ame...! há 3 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 13