O AUTO DE CADA UM

21 de Março de 2012 A.J. Cardiais Poesias 428

Eu também sou responsável
pelos desígnios da Nação.
Sou culpado por toda essa porcaria,
por toda essa corrupção.

Sou culpado de tudo:
Quando não reclamei,
quando aceitei
quando votei
quando não briguei
pelos meus direitos.

Não posso culpá-los
por usarem e abusarem
de todos nós.
Onde está a nossa voz?
(A voz do povo, é a voz de Deus?)

A. J. Cardiais
01.10.1991

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
ETERNAL (rondó) há 10 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 6


Sintomático há 16 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 37


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 79


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 16


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 3 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 31