Existe um pequeno pássaro em meu ser
Um colibri que bate suas asas quendo é de noite
Não sabe bem o caminho de meu peito
Ele gosta de se perder dentro de minhas veias
Não consegue enxergar em meu sangue escuro
Mas não pode voar durante o dia
E quando o vinho derrama de minha boca
O pequeno se perde mais ainda
Confunde o sange do vinho
E eu tento dizer "cantas colibri"
Mas ele se afasta
O vejo ir embora
Deixando em meu sonho o lamento
De tudo que se passa
Em tudo o que passou
De todos?