A FERRO E FOGO

03 de Abril de 2012 A.J. Cardiais Poesias 467

As minhas palavras
são como ferro em brasas.
Vibram com suas asas
de jitirana boia.

Esta serpente voadora
enganadora
que nem "óia".
Voa cega pela floresta
e onde se encaixa, mata.

As minhas palavras
saem doidas pelo ar...
Se for para alegrar,
que assim seja.

Se for para derrubar,
olhe a rasteira.
A minha capoeira,
nem sempre
é de brincadeira.

Eu danço na frente,
e traço um gingado...
Jogo a palavra
e espero o resultado.

A. J. Cardiais
05.01.2011

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
ANTIFACISTA há menos de 1 hora

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 4


A rua me aceita como sou há 3 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 30


Não seja superficial há 3 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 37


"Dia do amor" há 6 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 14 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 13


"Estou cá a matutar" há 14 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9