A poesia se revelou
entre os acordes de um velho piano.
O tempo parou,
silenciou o meu riso
enquanto pela janela
espio os teus passos pela calçada.
Que me cheguem os teus braços
que me beije a tua boca
que se derrame o teu amor
pois o tempo parou entre um suspiro em dó maior
e a tonalidade do vermelho
que me reveste a pele
no momento em que eu faço uma poesia para você.