A Saga dos Inocentes

30 de Março de 2017 Pr CJJacinto Poesias 176



No choro infantil, vi as vozes mais puras
No mundo que renasce das ruínas da dor
Crianças exploradas como fantoches do prazer
Quando o homem afoga-se na paixão injusta

Nos clamores mais sórdidos perdidos na inocência
Nas ruas contaminadas das ulceras sem dó
Esmagam os sentimentos com os pés, as flores
Nos lamentos íntimos de crianças machada de dores

No secreto do sofrimento, o “ai” do coração ferido
Mas noites tão sombrias, nos mais vis perjuros
Como ervas de recanto, assolada por vendavais
Infantes puros, escondidas nas sombras do susto

Percorrem tristonhas crianças, tragadas na alma aflita
Em almas congeladas, que cortam a essência da pureza
Num mar de falsos mares e ilhas de desordens
A face do homem duro, cadáver que entrona a vileza

Num frasco de núpcias infames, o tosco nefasto
O deslizar das negras paixões e desejos poluídos
Crianças adormecem no leito do sofrer silencioso
A marcha desferida no centro do coração ferido

Poema em memória as crianças vitimas de pedofilia


Autor : Clavio J. Jacinto

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
MAIS NOVÍSSIMAS TROVAS há 2 horas

QUADRAGÉSIMA QUINTA -- “Eis aqui um conto de réis! Ali, um milhar d...
ricardoc Trovas 10


AMANTES MORCEGOS - ECOSYS há 4 horas

PÁSSAROS voam na madrugada, MADRUGADA dos amantes, AMANTES, em êxtase, ...
juniorcampos Poesias 12


Não pode faltar Deus- ECOSYS há 4 horas

DEUS ouviu meu pedido, PEDIDO com muito amor, AMOR não pode faltar, FAL...
juniorcampos Poesias 13


QUASE INVERNO - ECOSYS há 4 horas

Sol onde estás? Estás escondido? Escondido traz-me frio, Frio não co...
juniorcampos Poesias 13


ALDRAVIA há 4 horas

cheiro de chuva cheia de charme!...
juniorcampos Poesias 11


Herança do Meu Pai há 4 horas

Meu pai deixou como herança além do amor à festança, o valor da hones...
a_j_cardiais Poesias 28