Armagedom

19 de Abril de 2017 Pr CJJacinto Poesias 90

Com ânsias de dor
As almas recolhidas clamam
Nesses vales tártaros do mundo
As guerras semeiam o pão do medo
As luminárias de canhões sedentos
Cospem mil lampejos como um ébrio
Que grita pra triturar a noite

O arco e a flecha se beijam
As espadas caçam suas presas
O "ai" fecundo de todas as mortes
Quando o amor sufocado morreu
Vi as carpideiras chorando as avessas
Era o mar das angustias que aforam as almas.

Clavio J. Jacinto


Leia também
MAIS NOVÍSSIMAS TROVAS há 2 horas

QUADRAGÉSIMA QUINTA -- “Eis aqui um conto de réis! Ali, um milhar d...
ricardoc Trovas 10


AMANTES MORCEGOS - ECOSYS há 4 horas

PÁSSAROS voam na madrugada, MADRUGADA dos amantes, AMANTES, em êxtase, ...
juniorcampos Poesias 12


Não pode faltar Deus- ECOSYS há 4 horas

DEUS ouviu meu pedido, PEDIDO com muito amor, AMOR não pode faltar, FAL...
juniorcampos Poesias 13


QUASE INVERNO - ECOSYS há 4 horas

Sol onde estás? Estás escondido? Escondido traz-me frio, Frio não co...
juniorcampos Poesias 13


ALDRAVIA há 4 horas

cheiro de chuva cheia de charme!...
juniorcampos Poesias 11


Herança do Meu Pai há 4 horas

Meu pai deixou como herança além do amor à festança, o valor da hones...
a_j_cardiais Poesias 28