O Enigma do Amor

21 de Junho de 2011 Rafael Otávio Modolo Poesias 369

As gotas de orvalho não caíram como ontem
Nem a chuva quis escoar pelo céu
Não posso mais o sabor do mel sentir,
Só fel,
Não vejo da noite o véu
Porque você não está aqui.

Celestes anjos,
Augustos servos do Criador,
Salvem-me dessa dor,
Essa dor de amor,
Dor de paixão,
Que mantém em cárcere o coração.

Pois não está aqui
A senhora da minha mente,
Que faz de mim o que sente
E mente,
Enquanto sou contente
Ela é do amor descrente.

Oh céus benditos,
Que a esse poeta um dia seja dito:
- É tua a liberdade!
Livre para escolher
Quem seja como eu
Antes que o coração me vença de saudade.

Mas, oh Deus, o que devo escolher?
Amar ser livre?
Ou ser livre para amar?
Mesmo se um dia tiver a solução,
Vivendo uma paixão ou uma solidão,
Optarei por ouvir meu coração...


Leia também
Uma Tal Pedra há 15 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 22


Mundo da Gataria há 15 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 44


A história do amor há 16 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 30


AFRO-AMERICANO - Des-História Universal há 16 horas

AFRO-AMERICANO Terra da Liberdade, a Norte-América Tornou republicana ...
ricardoc Sonetos 8


"Primeiro encontro" há 20 horas

Olha, te recordas da primeira vez que eu te vi? não foi só pra me distr...
joaodasneves Mensagens 7


John Owen - Hebreus 1 - Versos 4 e 5 – P3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 9