Alcançar o Amor

18 de Maio de 2017 Pr CJJacinto Poesias 397



Como nuvens que flutuam
No céu do coração infinito
Ai da minha dor e saudade
Do amor aceso, pedaços de tarde
Que fogem, como as ondas do mar

Feliz sem crer no afeto
Mãos vazias, as algemas das palavras vãs
Num certo dia de outono frio
Onde a doce melodia dos cântaros
Vasos vazios como coração sedento

Ai da minha alma de triste fome
Um vazio, buraco e brechas internas
Portos sem cais nessas turbulências iradas
Eu sou mesmo fel de amargura
Nessa intrépida cor do absinto

Mas longe vai meus braços
Como se a linha do horizonte dedilhada
Pudesse ressoar meus puros anseios
A falta de um amor mais grande
Tamanho do universo sem fim

De repente, um toque, um êxtase
Uma lembrança, uma lampada incandescente
Como mil sóis girando na revelação
Eu vejo o repouso suave nas mãos do coração
O amor chegou manso e agitou toda minha alma...

Clavio Juvenal Jacinto

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
UMA IMAGEM E MIL PALAVRAS há 2 horas

UMA IMAGEM E MIL PALAVRAS O que me diz a face que olha muda Em pleno co...
ricardoc Sonetos 6


TEU CORPO COLADO AO MEU há 1 dia

Sensação melhor não há, Teu corpo colado ao meu, Meus braços é o te...
juniorcampos Poesias 17


TEU PRIMEIRO AMOR há 2 dias

O teu encanto flor, Que meu ar perfumou, Não te lembras de mim? Disse...
juniorcampos Indrisos 20


MIDNIGHT há 2 dias

Meia-noite chegando, Não consigo dormir, Olho para o céu, Uma estrela ...
juniorcampos Poesias 11


Se o amor é mar... há 2 dias

Se o AMOR é mar, quero me afogar!...
juniorcampos Frases 12


CORPUS CHRISTI há 2 dias

CORPUS CHRISTI Porque sagrado o pão que aqui se oferta A estes que se ...
ricardoc Sonetos 12