Confissão da Saudade

05 de Maio de 2012 Gisela Cardoso Poesias 9

Sinto saudade dos tempos
Em que passávamos as tardes ensolaradas juntos,
Em que andávamos pelas frias ruas da cidade à noite,
Quando me emprestava o seu casaco para me aquecer...

Hoje, as tardes ensolaradas são tristes,
Um clima de luto.
As ruas se tornaram mais frias
E parecem não ter mais fim.
Não possuo mais o seu casaco e seu amor para me proteger...

Agora, a lua cheia me aterroriza,
A nostalgia me maltrata,
Espanca-me, quase mata.
Um assassinato anunciado.

Não ouço mais os seus passos subindo pelas escadas,
Não escuto mais o meu portão bater.
Simples ruídos que sinto saudades hoje.
Foi um adeus sofrido, um adeus eterno.
Só espero me proteger do frio com as suas doces lembranças...

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
PAU DE FITAS há 3 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 3 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 7 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 29


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 8 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 13 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16


ETERNAL (rondó) há 1 dia

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 8