A Necrópole

09 de Julho de 2017 Pr CJJacinto Poesias 95



Em uma cidade silenciosa eu vi
Túmulos grandes e outros tão pequenos
Entre sarças estranhas e ervas daninha
Flores tristonhas em vasos quebrados
As lagrimas todas no mar da saudade
O vândalo obscuro, assustado, sem piedade
Tudo misturado com nuvens celestes
Retratos de tantas gentes que já se foram
Partiram pro além, nos abandonaram
Histórias e sonhos escondidos na terra
Uns conhecidos outros misteriosos
Na solitária palavra de todos os lamentos
Num campo santo, o réu finado
Acorrentado nas ânsias de todas as duvidas
Ouvi as potencias de todos os ruídos
Pássaros cantam no entardecer
Como ancoras, adormecida num oceano
Que foram despertadas pelos açoites das ondas
Uma foz da falácia de todo o egoísmo
Eu vi uma cidade, uma estranha cidade eu vi
Destino sagrado de todo o pó vivente
Uns adormecem no leito frio das incertezas
Outros abraçam a aurora da germinação
Aguardam no vácuo, a ressurreição


Clavio J. Jacinto

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
FANTASIA há 1 hora

FANTASIA Ando às voltas com quem eu nunca fui, Perdendo-me no qu'eu ja...
ricardoc Sonetos 8


DOCE DELEITE - Tauto em "D" há 6 horas

Doce deleite.. Dani dormia, Despertava-me... Delícia! Doce de leite....
juniorcampos Poesias 6


Eu, você e o mar... há 6 horas

Eu e você a observar o mar, e, o mar a nos observar... Admiramos nele a ...
juniorcampos Poesias 4


BRINDES há 6 horas

Eu quis o céu, eu quis a lua, ganhei de presente você toda nua... E...
juniorcampos Poesias 8


JUNDU há 1 dia

JUNDU Longe, o voo elegante da gaivota. Entre a floresta e o mar, erva ...
ricardoc Sonetos 11


Momentos há 6 dias

Se torna estranho quando vc está feliz e quer gritar ao mundo. É estranho...
dree Pensamentos 44