Jangadeiro

05 de Agosto de 2017 Benê Lima Poesias 38

Velas ao mar,
Em calmaria ou mar revolto,
Sem escolha, sem alternativa,
Mas com sobranceira coragem,
Triunfo de cada dia sobre os temores do viver.

Rumo certo de incertos resultados.

Peixe vai, peixe vem.
Redes que entre as distâncias entremeiam-se,
Nos movimentos ululantes das capturas.

Dias sim, dias não.

Assim, como nos incessantes fluir e refluir dos mares,
Assim, também, se faz a vida do jangadeiro:
Às vezes encristada pela fartura,
Outras vezes envolta em escassez e amargura.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Não vá embora há 2 dias

Diga- me suas doces palavras Leve-me para casa Onde eu já deveria esta...
maialissa Pensamentos 18


Sono da Minha Alma no Mundo há 2 dias

Doce alma em harmonia Nesse mundo turbulento Sem choro menos uivant...
claviojj Poesias 64


A TRANSFIGURAÇÃO SATÂNICA há 2 dias

E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em a...
claviojj Artigos 82


O QUE É O ESPIRITO DE PROFECIA? há 2 dias

O QUE É O ESPIRITO DE PROFECIA? ...
claviojj Mensagens 76


CRISTO, O MEDIADOR há 2 dias

Um mediador, segundo O. S. Boyer, em sua pequena enciclopédia bíblica, é...
claviojj Artigos 80


ERROR há 2 dias

---------------------------------------------------------------------------...
juniorcampos Poesias 9