Jangadeiro

05 de Agosto de 2017 Benê Lima Poesias 79

Velas ao mar,
Em calmaria ou mar revolto,
Sem escolha, sem alternativa,
Mas com sobranceira coragem,
Triunfo de cada dia sobre os temores do viver.

Rumo certo de incertos resultados.

Peixe vai, peixe vem.
Redes que entre as distâncias entremeiam-se,
Nos movimentos ululantes das capturas.

Dias sim, dias não.

Assim, como nos incessantes fluir e refluir dos mares,
Assim, também, se faz a vida do jangadeiro:
Às vezes encristada pela fartura,
Outras vezes envolta em escassez e amargura.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
ALJÔFAR há 10 horas

ALJÔFAR Cintila sobre a face embevecida Essa lágrima só de maravilha...
ricardoc Sonetos 6


UM GULOSO CEGO NO CABARÉ há 10 horas

O homem chega no cabaré e a dona do brega oferece: -Tenho uma mulata e um...
reribarretto Humor 28


EM GRUPO há 12 horas

EM GRUPO Ser mais um entre muitos ou não ser? Eu, para bem ou mal, me ...
ricardoc Sonetos 7


CICATRIZES há 1 dia

As lágrimas não mais caiam, Pois já era um outro dia, Mas, ainda exist...
juniorcampos Indrisos 19


TODO O CÉU VAI TE PERTENCER há 1 dia

Não são só meu olhos que ficam feliz por te ver, meu corpo só sabe te...
juniorcampos Indrisos 14


Ê coração há 1 dia

Ê coração que gosta de bater, Com isso, eu que apanho... Acelera no pe...
juniorcampos Indrisos 10