Jangadeiro

05 de Agosto de 2017 Benê Lima Poesias 144

Velas ao mar,
Em calmaria ou mar revolto,
Sem escolha, sem alternativa,
Mas com sobranceira coragem,
Triunfo de cada dia sobre os temores do viver.

Rumo certo de incertos resultados.

Peixe vai, peixe vem.
Redes que entre as distâncias entremeiam-se,
Nos movimentos ululantes das capturas.

Dias sim, dias não.

Assim, como nos incessantes fluir e refluir dos mares,
Assim, também, se faz a vida do jangadeiro:
Às vezes encristada pela fartura,
Outras vezes envolta em escassez e amargura.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
A rua me aceita como sou há 2 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 30


Não seja superficial há 3 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 36


"Dia do amor" há 6 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 13 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 13


"Estou cá a matutar" há 14 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9


A Humildade nos Cai Bem há 19 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 9