O Vermelho Inocente

25 de Setembro de 2017 Pr CJJacinto Poesias 238




Em mar de sangue e dor sofreu
Puro e imaculado, tão santo
Na cruz padeceu
Tão bendito e inocente
Manso e corajoso
Banhado nesse vermelho inocente
Todos meus lamentos libertos lá
Nesse madeiro de vergonha e a transfusão
O preço precioso do perdão

Ai de mim se for tão ingrato
Ainda mais vil serei,
Se não me arrepender de mim mesmo
No desdém de meus infames atos
Não converter-me, ao teu santo amor
E não calar-me de vergonha
Ao ver todas as feridas do meu Salvador

Clavio Jacinto


Leia também
NA REBORDOSA há 1 hora

NA REBORDOSA Acordo e já começa a girar tudo... Olhos cerrados contra...
ricardoc Sonetos 4


PLEONÁSTICO n°2 há 21 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 23 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 5


A rua me aceita como sou há 1 dia

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 79


Não seja superficial há 1 dia

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 91


"Dia do amor" há 1 dia

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 14