O Cais das Constelações

25 de Setembro de 2017 Pr CJJacinto Poesias 142


Que de infinito nada penso
Se os mares dessas sombras chegam
Em ímpetos de sopros ao incerto
Como as montanhas descascadas ao pudor

Naus de luzes em noites tranquilas
Astros que brilham na dança do espectro
Barcos de Veneza em águas escuras
O véu da imensidão aos meus olhos

De visão carcomida pelas limitações
Num velho monturo, a semente incerta
Estou eu contemplando
Nesse breve momento que se chama vida

Esperando o próximo retorno
Daquela triste partida ao infinito
Onde eu e minha alma seguimos
Desde o cais desse porto sem águas..


CJJ


Leia também
CORNÓPOLIS. há 2 horas

Em Cornópolis tudo é malandragem. Tudo termina em pizza, quando o sujei...
reribarretto Humor 26


um amor incondicional épico! há 18 horas

Quão linda estas hoje amada minha! Não, não fale nada, aprecie o mome...
diannahgomes Mensagens 12


Tentando há 18 horas

Estou mantendo-me de pé por questão de escolha, pois por tudo que sucede ...
diannahgomes Pensamentos 12


pensamentos há 18 horas

Eu não preciso nem fechar os meus olhos que eu te vejo, Que eu te sinto, ...
diannahgomes Poesias 10


SOU PRA VOCÊ... há 2 dias

SOU PRA VOCÊ... Sou pra você mais do que mereço Você sempre atent...
seldaantunes Poesias 56


Rouba-me! há 2 dias

Rouba-me! Surge assim do nada e rouba-me! Rouba-me meu amor e ainda...
seldaantunes Poesias 42