Exílio

11 de Maio de 2012 @poetarafael Poesias 433

Um dia, talvez, sentirei o amor.
De forma única, ao anoitecer.
De riso fácil, terei seu calor,
Talvez, o seu eterno prazer.

Mas, o que se faz é dor.
Pranto que nasce às estrelas.
Que escorre em atos de ardor,
Deste exílio insano das profundezas.

A vida acontece aqui, no nada,
totalmente sem as flores.
Brindam angústias inusitadas,
como autênticos e maus desertores.

Não sabem da vontade que tenho,
num lugar de carinhos e união.
Esquecem que me fiz em meio
a doçuras enormes de paixão.


Leia também
"Vi em ti" há menos de 1 hora

Em ti eu vi o sol, o mar senti o vento aprendi a viver, soltei o sentime...
joaodasneves Poesias 4


"Tenho" há 1 hora

Tenho amor para dar Paixão para receber Sei perdoar, mas não posso esq...
joaodasneves Poesias 4


"Queria ser o mar" há 1 hora

Queria tanto ser o mar Te abraçar com as minhas ondas Te desejar na arei...
joaodasneves Poesias 5


"Coração chora" há 5 horas

Ouço vento, as trovoadas estão-se a aproximar raios de sol a queimar a m...
joaodasneves Poesias 4


Dor e Reflexão há 1 dia

A dor que nos vem, e que achamos que é do nada, às vezes é do além. ...
a_j_cardiais Poesias 44


Crônica Sobre as Crônicas Que Pretendo Escrever há 1 dia

Esse título ficou “pomposo”, porque não encontrei meios de reduzi-lo....
a_j_cardiais Crônicas 53