MEUS DOIS AMORES

14 de Maio de 2012 Maria Hilda Poesias 490

Quando em uma delas estou
Penso na outra que ficou lá, longe,
E não sei qual das duas
É a preferida por mim.

Ambas são belas, belíssimas
Digo com verdadeiro fervor,
Com isto não sei a qual delas
Consagro maior amor.

O que sei é que um dia
Meu coração pulsou duplamente
Pela cidade de cá e a cidade de lá,
E lágrimas rolam dos meus olhos
Se de uma delas preciso me afastar.

Tenho a alma embevecida, apaixonada,
Em êxtase sublime por estas meninas
Que me fazem de amor sofrer.
O quê faço, meu Deus,
Com este duplo bem-querer?

Será meu coração tão volúvel,
Incapaz de decidir
Se ama a nordestina Itabaiana
Ou a Santos paulistana?

Por isso, quando eu partir,
Deixarei como herança minhas cinzas:
Metade para a Santos praiana;
Metade para a bela Itabaiana.

21/06/10


Leia também
Paz Celestial há 7 horas

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 7


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 22 horas

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 39


Poema Suado há 22 horas

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 34


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10