É tua graça que me sustenta
Na intensa angustia e na imensa dor
Na solidão e no desalento
A tua graça é meu sustento
Na via dolorosa de meu desanimo
Nas incertezas do outro dia
A tua graça é meu sustento
Nas feridas causadas pela traição
Na decepção que invade o coração
A tua graça é meu sustento
No caminho difícil das provações
Na noite escura das tentações
A tua graça é meu sustento
No medo das batalhas da vida
No leito seco da ingratidão
A tua graça é meu sustento
Quando o deserto me aflige
Quando a crueldade me assusta
A tua graça é meu sustento
Quando vejo meus pecados vis
Sem forças para vence-los
A tua graça é meu sustento
Na ansia de desistir de tudo
Na crueldade de meus pensamentos
A tua graça é meu sustento
Quando fraco estou e mui tristonho
O fel que constrange me decepciona
A tua graça é meu sustento
Quando sou desprezado e esquecido
Entre a vida e a morte e a perseguição
É tua graça que me sustenta.

Clavio J. Jacinto