DE RESTO - rondó

02 de Dezembro de 2017 RicardoC Poesias 21

DE RESTO - rondó

Não guardarei amor tão-só,
Nem por saudade; nem por dó
Dos dias que vivi contigo.
Deixo-nos nomes sob abrigo
D'esse rebuscado rondó.

Resta a mim voltar a ser só;
Desfazer na garganta o nó,
Quando teu nome desdigo.

Recordar como um sonho antigo
E olhar p'ra frente sob perigo
De repetir o havido só!...
Se apenas pó de volta ao pó
As flores secas no jazigo...

Betim - 02 12 2017

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
DE RENOME há 10 horas

DE RENOME De certo, alguém que não eu, N'um lugar que não aqui, Viv...
ricardoc Sonetos 6


EM LARGA MEDIDA há 20 horas

EM LARGA MEDIDA Duvido porque penso, não por cético. Há-que se quest...
ricardoc Sonetos 10


ALJÔFAR há 2 dias

ALJÔFAR Cintila sobre a face embevecida Essa lágrima só de maravilha...
ricardoc Sonetos 8


UM GULOSO CEGO NO CABARÉ há 2 dias

O homem chega no cabaré e a dona do brega oferece: -Tenho uma mulata e um...
reribarretto Humor 41


EM GRUPO há 2 dias

EM GRUPO Ser mais um entre muitos ou não ser? Eu, para bem ou mal, me ...
ricardoc Sonetos 17


CICATRIZES há 3 dias

As lágrimas não mais caiam, Pois já era um outro dia, Mas, ainda exist...
juniorcampos Indrisos 20