Vivo colhendo frutos,
que a sociedade não se importa.
Minha vida é uma horta,
onde cultivo observações.

Sei que isso não dá camisa a ninguém,
nem paga as prestações
no final do mês.

Mas quem se dedica a escrever
o que sente e o que vê,
está procurando muito mais que prazer:
está procurando viver.

A.J. Cardiais
11.04.2016