A MINHA ALMA NO CALVÁRIO.

19 de Fevereiro de 2018 Pr CJJacinto Poesias 162



As cordas e grilhões me atrapalham
As cores da minhas falhas me assustam
Não da pra fazer de conta nessa luta
A batalha é épica e a dor tão imensa

Quais cais de uma grito que sufoca
Nas folhas dessa face que tanto inspira
As almas tiranas de todos os conflitos
A essência perfumada de todos os gritos

Eu prisioneiro de olhos e algemas do coração
Quem me arranca desse lodo tão silencioso?
Do palco desse mundo vil e asqueroso
Das garras dos abrolhos que Adão plantou

As montanhas são feridas por arados
Os mares por aços de velas de naufragios
Eu por meus pecados sou triturado
Como verme, na pupa, crisalida, um estagio

Quais rochas estendidas num cenario
De estrondo universais, a lamina do Calvário.
relâmpagos e noite que esconde a tarde
Lá no centro eterno da minha redenção

De guerra mortal, vi o cordeiro mais manso
Num pranto quieto, da cruz meu descanso
Olhei vi o vinagre e o sangue derramado
Os grilhões da alma, por Cristo quebrados

Clavio J. Jacinto.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Sou" há menos de 1 hora

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 4


"Livro sem letras" há 2 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 6


Amor há 4 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 7


ESTÁ TÃO ESCURO (poesia infantil) há 6 horas

Está tão escuro Por causa do muro O chão é duro Não bata o nari...
madalao Infantil 7


Amor de Primavera há 19 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 42


CICATRIZES há 1 dia

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 6