Poema Limpo

23 de Maio de 2012 OSMAN MATOS Poesias 534

Diáfano e transparente
a cristalina
mama do peito
a favor da vida
gema
mais mais
mais que clara
mais que vida e menos preconceito pela cor que fosse parecida pálida;
a falta de informação é um muro
escuro
mais que escuro:
claro
como o leite? como a mãe? claro mais que claro claro: alimento algum
é tudo
(só o colostro)
um leite que o universo fabrica e vem sonhando desde as entranhas da mãe
e mesmo amarelado,
era o sol amarelado.
não jogue fora
o colostro, mães de Moçambique!
Essa forma de leite de baixo volume
secretado nos primeiros dias de amamentação pós-parto,
não é leite sujo.
É poema limpo.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Minha humilde casinha" há 1 dia

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 15


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 54


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 14


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 10


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 51