ONIPOTENTE

08 de Março de 2018 Pr CJJacinto Poesias 92



Quem dera-me mergulhar nas gotas de minhas lagrimas, e resgatar dos meus naufrágios sentimentais, a esperança sobrevivente

Quem dera-me aquecer-me com meus sorrisos, e com a intensidade do fogo das risadas queimar todas as raízes da minha amargura

Quem dera-me ser um perpetuo sobrevivente dessas batalhas
Para ser um herói de brinquedo do destino, adormecido nas chuvas da serenidade

Quem dera-me ser apenas eu mesmo, porque ainda no dia ensolarado, no caminho solitário, a minha sombra estará atrás de mim

Quem dera-me, nunca deixar de amar Deus, pois seguindo os passos de seu Filho, descansarei na sombra do Onipotente

(Poema de Clavio J. Jacinto)

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Sou" há menos de 1 hora

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 4


"Livro sem letras" há 2 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 6


Amor há 4 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 7


ESTÁ TÃO ESCURO (poesia infantil) há 6 horas

Está tão escuro Por causa do muro O chão é duro Não bata o nari...
madalao Infantil 7


Amor de Primavera há 19 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 42


CICATRIZES há 1 dia

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 6