Quando um poema samba em meu peito,
samba direito.
Sem machucar meu coração,
mas sem pedir opinião.

Quando demoro muito
para acrescentar um verso,
e fico ruminando,
eu acabo sambando:
perco a inspiração.

Meu poema não requer
uma atenção desdobrada.
Ele quer seguir a estrada
de uma forma qualquer,
bem improvisada:
como num samba de roda.

A.J. Cardiais
13.11.2016